Brasileiros usam redes sociais para impulsionar vendas durante a pandemia

Usar as redes sociais para promover as vendas tem sido a estratégia de muitos empreendedores para vencer a crise. O jovem casal Nadine e Flávio sofreram os impactos da pandemia. Ele, que é estudante e garçom, perdeu o emprego. Formada em administração, Nadine não conseguiu ingressar no mercado de trabalho. A solução encontrada foi empreender. Com o dinheiro da venda de um carro os dois compraram algumas peças de roupa para revender. “Tivemos uma ideia onde nossos fornecedores tinham biquíni. Trouxemos cinco peças e vendemos no mesmo dia. Achamos o nosso nicho”, afirma a jovem. Atualmente o casal vende só roupas de banho. Em média, são comercializados 80 biquínis por dia. Flávio chegou a trabalhar como entregador de aplicativo, mas largou a atividade para se dedicar à empresa com a namorada. Com a loja virtual como única fonte de renda, o casal diz que o sucesso veio após um curso de marketing nas redes sociais.

“O mercado digital não precisa de muito para começar. Você pode começar com pouquinho, depende do que você vai investir. E ele traz uma rotatividade muito rápida porque tem pessoas do mundo inteiro no digital. Se você usar as ferramentas certas, vai descobrir seu público alvo”, diz Flávio. O especialista em vendas pelas redes sociais, Maurecy Moura, orienta que transformar o próprio perfil em uma vitrine para o negócio é um bom ponto de partida. “Trazer novidades sempre, ter um produto ou um serviço que cative o seu cliente. Para fechar com chave de ouro, eu acredito que vergonha não paga boleto. Vamos ser a blogueirinha, vamos aparecer, mostrar o nosso produto de um jeito legal, inteligente e diferenciado”, sugere. Com o desemprego em alta, empreender acabou virando alternativa para muitos brasileiros. O Estado de São Paulo registrou um recorde de novas empresas em 2021. Segundo a junta comercial, foram abertos 288.502 novos negócios.