Produtividade maior pode elevar PIB brasileiro em US$ 1 trilhão até 2027, diz Firjan

Um estudo da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) demonstrou o quanto o Brasil poderia crescer se investisse em reformas para aumentar a produtividade. Propostas nesse sentido estão na chamada Agenda Firjan Para Um Brasil 4.0. O documento tem propostas para o aumento da competitividade destinadas às três esferas de governo (municipal, estadual e federal). São quatro pilares que embasam a pesquisa e podem aumentar a produtividade por meio da melhoria do ambiente de negócios, da infraestrutura, do capital humano e da eficiência do Estado. A agenda contempla 62 propostas de abrangência nacional e 41 estaduais. Um dos principais pontos é a aprovação da reforma tributária, de forma que ela altere o imposto sobre consumo, simplifique o sistema e equalize a carga entre os setores econômicos. Na área da infraestrutura, a sugestão da Firjan é a modernização do setor elétrico, redução do custo e aumento da qualidade da energia do país. Avanços nas reformas trabalhista e administrativa também estão na pauta da federação.

O vice-presidente da Firjan, Luís Sérgio Caetano, falou sobre o estudo em entrevista à Jovem Pan News: “O estudo chegou à conclusão de que, se essas propostas forem implementadas, poderíamos ter um ganho de US$ 1 trilhão (cerca de R$ 5,1 trilhões) nos próximos 5 anos, até 2027. É um fator substancial, porque nós saímos da 12ª posição no ranking mundial das economias, para o 8º lugar”. Se a agenda sugerida pela Firjan for parcialmente implementada, o PIB brasileiro pode saltar de US$ 1,8 trilhão para US$ 2,8 trilhões, valor que representa quase R$ 15 trilhões.