Procon vai notificar Google e bancos por fraudes financeiras após roubo de celulares

O Procon de São Paulo vai pedir explicações ao Google e aos bancos sobre o grau de segurança de aplicativos após a onda de fraudes financeiras envolvendo aparelhos celulares roubados. As notificações devem ser encaminhadas ainda nesta sexta-feira, 18, com prazo de 72 horas para serem respondidas. O órgão de defesa do consumidor já notificou a Apple, Motorola e Samsung sobre dispositivos de segurança disponíveis para desbloqueio e acesso às informações salvas nos aparelhos. Segundo o diretor-executivo do Procon-SP, Fernando Capez, mais de 20 instituições financeiras devem ser notificadas nas próximas horas. “O Procon quer saber qual o grau de vulnerabilidade dessas plataformas que os aplicativos se encontram e qual o grau de vulnerabilidade dos bancos contra esse tipo de fraude”, afirma.

O órgão deve pedir para que as empresas notificadas comprovem a segurança dos seus serviços por meio de laudos técnicos e quais as providências estão sendo tomadas para a identificações de possíveis quebras de segurança. Segundo Capez, caso fique provado que os sistemas e aplicativos não são seguros, os responsáveis devem alertar os clientes. “Se esse grau de segurança não for elevado, eles têm a obrigação de colocar informações claras e ostensivas para que o consumidor saiba do perigo que está correndo”, afirma. A invasão de contas bancárias após o roubo ou furto dos aparelhos celulares tem chamado a atenção das autoridades de segurança de São Paulo. Entre as práticas da nova modalidade de crime está a transferência de valores para outras contas,  compras usando o cartão de crédito e a contratação de empréstimos.