Caixa aumenta teto de renda no Programa de Habitação Popular

A Caixa Econômica Federal apresentou novas condições para a aquisição da casa própria para diferentes linhas de crédito habitacional. Segundo a instituição, as mudanças permitem que mais pessoas tenham acesso a crédito. Foram beneficiados o Programa de Habitação Popular com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e o pró-cotista, linha de financiamento que utiliza os recursos do Programa Especial de Crédito Habitacional ao cotista do FGTS. No Programa de Habitação Popular, houve ampliação da renda familiar dos que podem se enquadrar para contemplar famílias com renda de até R$ 8 mil, antes o limite era de R$ 7 mil. Os subsídios serão concedidos de acordo com a faixa de renda familiar e especificidades de cada região.

A última faixa, que vai de R$ 4,4 mil a R$ 8 mil de renda, tem taxa de juros nominal a partir de 7,16% ao ano para todas as regiões do país. Faixas de remuneração menor têm juros menores. A menor taxa de juros operada é para a renda de até R$ 2,4 mil e para quem mora nas regiões Norte e Nordeste. Na linha de financiamento pró-cotista, serão beneficiados com a redução de juros aqueles que efetivarem a contratação até o dia 31 de dezembro de 2022. Os novos valores partem de taxa referencial mais 7,66% ao ano para imóveis de até R$ 350 mil, uma redução de 1%, segundo a Caixa. Para imóveis com avaliação acima deste valor, limitado ao teto de R$ 1,5 milhão, houve queda de 0,5% nos juros, ou seja, com taxa referencial mais 8,16% ao ano. O financiamento também foi ampliado para até 80% do valor de avaliação do imóvel.