Após 17 anos, Josué Gomes assume comando da Fiesp no lugar de Skaf

O empresário Josué Gomes da Silva foi eleito presidente da Fiesp em chapa única ao obter o apoio de 104 sindicatos de um total de 113. Filho do ex-vice-presidente da República, José de Alencar, dos governos de Lula, Josué condena o avanço da desindustrialização do Brasil. “Isso não é de agora, já vem de muitas e muitas décadas. O Brasil fez um experimento de criar condições hostis para a indústria de manufatura e estamos colhendo o resultado. A começar pela carga tributária que está sobremaneira punindo o setor da indústria de transformação.” Após 17 anos, Paulo Skaf vai deixar o comando da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo em 2022. Mas, antes, ele garante que tem uma batalha para impedir a votação do projeto de reforma tributária apresentado pelo governo e que recebeu forte oposição da indústria.

“Você tem dinheiro sobrando, você faz reforma tributária. Quando você tem dinheiro faltando, você deve fazer reformas de corte de gastos. É a reforma administrativa. É muito perigoso promover reforma tributária quando o Estado e o governo precisam de dinheiro. É um risco tremendo que a reforma tributária acabe se transformando em aumento de carga. E é isso que nós não vamos permitir. Haverá uma grande mobilização, já temos uma reunião marcada para quarta-feira, não só dos setores industriar — mas serviços, indústrias, agrícolas.” Josué Gomes da Silva foi eleito presidente da Fiesp e o industrial Rafael Cervone foi eleito presidente do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp). Apoiado pelo atual presidente Paulo Skaf, Cervone venceu o candidato de oposição José Ricardo Roriz Coelho. Josué e Cervone iniciam seus mandatos em 1º de janeiro de 2022 e seguem até 31 de dezembro de 2025.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos